“Entregar a privados a recolha de lixo só pode resultar numa degradação do serviço prestado”

José Luís Araújo e Paulo Costa

Em Conferência de Imprensa, o Bloco de Esquerda de V. N. de Famalicão manifestou a sua oposição à intenção da Câmara Municipal entregar a privados o serviço de recolha de resíduos sólidos urbanos.

Para Paulo Costa, deputado municipal do BE, a anunciada redução dos custos para o município só pode resultar numa degradação do serviço prestado, nomeadamente com menor frequência de recolhas.

Outra preocupação do BE prende-se com situação laboral dos trabalhadores que irão efetuar o serviço por privados, uma vez que para reduzir custos e ainda obter lucros, certamente a empresa vencedora irá optar por uma situação de precariedade laboral que irá piorar ainda mais a situação social da região.

Outra razão apontada por Paulo Costa para o voto contra do BE na Assembleia Municipal prende-se com a falta de documentação, nomeadamente o caderno de encargos. De referir que esta não é a primeira vez que Câmara Municipal leva a votação na Assembleia Municipal concursos públicos sem os respetivos cadernos de encargos e demais documentação.

Ainda segundo José Luís Araújo, esta não é apenas uma mera opção de gestão municipal, mas uma opção ideológica de degradação dos serviços públicos do Estado, entregando-os aos interesses privados. O coordenador  alerta ainda para que, a seguir à recolha dos resíduos sólidos, também o abastecimento de água pode vir a ser entregue a privados, como foi deixado antever por Paulo Cunha enquanto candidato à Câmara Municipal.

O Bloco de Esquerda entende que a população famalicense deve estar muito atenta a todo este processo e denuncia mais uma vez a forma como a Câmara Municipal priva os partidos da oposição da documentação necessária para um cabal esclarecimento de todos os detalhes deste concurso público.

via: Bloco Famalicão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *